By J. K. Rowling

Reliable Brazilian Portuguese model from Pottermore.

Note: within the unique ebooks from Pottermore, there's a preview of the 1st bankruptcy of the next e-book (ie on the finish of the Philosopher's Stone, they contain the 1st bankruptcy of the Chamber of Secrets), yet this can be lacking from this add. probably not a major deal though.

Harry Potter é um garoto cujos pais, feiticeiros, foram assassinados por um poderosíssimo bruxo quando ele ainda period um bebê. Ele foi levado, então, para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural. Pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e period tratado como um estorvo.

No dia de seu aniversário de eleven anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais. O menino de olhos verdes, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder average entre os sobrenaturais. A fábula, recheada de fantasmas, paredes que falam, caldeirões, sapos, unicórnios, dragões e gigantes, não é, entretanto, apenas um passatempo.

Show description

Quick preview of Harry Potter e a Pedra Filosofal (Harry Potter, Book 1) PDF

Similar Magic books

Story's End (Storybound)

Input the paranormal land of tale during this sequel to Storybound, ideal for enthusiasts of Inkheart, the varsity for sturdy and Evil, and vintage delusion stories like Ella Enchanted and The Neverending tale. youngsters who love fairy stories, dragons, magic, and extra may be enchanted via Una Fairchild's unforgettable experience in Story's finish.

Another Fine Myth (Myth, Book 1)

Skeeve was once a magician's apprentice--until an murderer struck and his grasp was once killed. Now, with a purple-tongued demon named Aahz as a spouse, he's on a quest to get even.

A General Theory of Magic (Routledge Classics)

First written through Marcel Mauss and Henri Humbert in 1902, A basic idea of Magic received a large new readership whilst republished via Mauss in 1950. As a research of magic in 'primitive' societies and its survival this day in our techniques and social activities, it represents what Claude Lévi-Strauss referred to as, in an creation to that version, the spectacular modernity of the brain of 1 of the century's maximum thinkers.

Academ's Fury (Codex Alera, Book 2)

In Furies of Calderon, number one manhattan Times bestselling writer Jim Butcher brought readers to an international the place the forces of nature take actual shape. yet now, it really is human nature that threatens to throw the area into chaos…For centuries, the folks of Alera have harnessed the furies—elementals of earth, air, fireplace, water, wooden, and metal—to defend their land from aggressors.

Extra info for Harry Potter e a Pedra Filosofal (Harry Potter, Book 1)

Show sample text content

O diretor do zoo em pessoa preparou uma xícara de chá strong point para tia Petúnia enquanto se desculpava mil vezes. Pedro e Duda só conseguiam balbuciar. Pelo que Harry vira, a cobra não fizera nada a não ser fingir abocanhar os calcanhares deles quando passou, mas quando chegaram finalmente ao carro do tio Válter, Duda estava contando que a cobra quase lhe arrancara a perna a dentadas, enquanto Pedro jurava que a cobra tentara apertá-lo até matar. Mas o pior de tudo, pelo menos para Harry, foi Pedro ter se acalmado o suficiente para perguntar: – Harry estava conversando com ela, não estava, Harry? Tio Válter esperou até Pedro estar longe da casa para brigar com Harry. Estava tão zangado que mal podia falar. Conseguiu apenas dizer: – Vá... armário... Harry... sem comida – antes de desmontar em uma cadeira e tia Petúnia ter que correr para lhe servir uma boa dose de conhaque. Muito mais tarde, deitado no seu armário, Harry desejou ter um relógio. Não sabia que horas eram e não tinha certeza se os Dursley já estariam dormindo. Até que estivessem, ele não poderia se arriscar a ir escondido até a cozinha buscar alguma coisa para comer. Vivia com os Dursley havia quase dez anos, dez infelizes anos, desde que se lembrava, desde que period bebê e seus pais tinham morrido naquele acidente de carro. Não conseguia se lembrar de ter estado no carro quando os pais morreram. Às vezes, quando forçava a memória durante longas horas em seu armário, lembrava-se de uma estranha visão: um lampejo ofuscante de luz verde e uma queimadura na testa. Isto, supunha ele, period o acidente embora não conseguisse lembrar de onde vinha toda aquela luz verde. Não conseguia lembrar nada dos pais. A tia e o tio nunca falavam neles e naturalmente tinham-no proibido de fazer perguntas. E não havia fotografias deles na casa. Quando period mais novo, Harry sonhara muitas vezes com um parente desconhecido que vinha levá-lo embora, mas isto nunca acontecera; os Dursley eram sua única família. Ainda assim, ele achava (ou talvez fosse só uma esperança) que estranhos na rua o conheciam. E eram estranhos muito estranhos. Um homenzinho de cartola roxa se curvara para ele uma vez quando estava fazendo compras com tia Petúnia e Duda. Depois de perguntar a Harry, furiosa, se ele conhecia o homem, tia Petúnia tinha empurrado os meninos depressa para fora da loja sem comprar nada. Uma velha amaluca da toda vestida de verde uma vez acenara alegremente para ele no ônibus. Um careca com um longo casaco púrpura chegara a apertar sua mão na rua um dia desses e em seguida se afastara sem dizer nada. A coisa mais estranha nessas pessoas period a maneira com que pareciam desaparecer no instante em que Harry tentava vê-los melhor. Na escola Harry não tinha ninguém. Todos sabiam que a turma de Duda odiava aquele estranho Harry Potter com suas roupas velhas e folgadas e os óculos remendados, e ninguém gostava de contrariar a turma do Duda. — CAPÍTULO TRÊS — As cartas de ninguém A fuga da jiboia brasileira rendeu a Harry o seu castigo mais longo.

Download PDF sample

Rated 4.54 of 5 – based on 24 votes